Áudio

Dados Originais

Texto completo

Que vontade de chorar nesta tarde cinzenta
em seu tamborilar a chuva fala de ti
remorso de saber
que por minha culpa
nunca vida, eu nunca te verei

Meus olhos quando fecham, vêem você da mesma forma que ontem tremendo, ao implorar de novo meu querer
e hoje é a tua voz que volta pra mim
nesta tarde cinzenta.

Venha
triste me dizias
que nesta solidão
minha alma não pode mais

Venha
e tenha piedade da minha dor
que estou cansada de chorar por você
sofrer e esperar por você
e falar sempre a sós
com meu coração

Venha
Pois te quero tanto
Que se nao vier hoje
Vou ficar afogada em prantos.

Não
não pode ser que eu viva assim
com esse amor cravado em mim
como uma maldição

Não soube compreender, seu desespero
e alegre eu me afastei nas asas de outro amor
que solitário e triste me encontrei
quando me vi tão longe
e meu engano comprovei.

Meus olhos quando fecham, vêem você da mesma forma que ontem
tremendo, ao implorar de novo meu querer
e hoje é a sua voz que sangra em mim
nesta tarde cinzenta.

Venha
triste me dizias
que nesta solidão
minha alma não pode mais

Venha
e tenha piedade da minha dor
que estou cansada de chorar por você
sofrer e esperar por você
e falar sempre a sós
com meu coração.

Venha
Pois te quero tanto
que se não vier hoje
vou ficar afogada em prantos.

Não
não pode ser que eu viva assim
com esse amor cravado em mim
como uma maldição.

[printfriendly]

3 vídeos, 3 expressões diferentes

una producción de:

para Fórmula Tango Podcast

Deja un comentario

es_ESEspañol
Ir arriba

proximamente habilitaremos los registros al encuentro!

contacto A ESCENA

contacto@espacioaescena.com